Imagine Cup: transformando ideias em startups


A maior competição para estudantes do mundo todo reuniu equipes de diversos países em Seattle, Washington durante o mês de julho

Todo mundo, quando pensa em juntar um time para ter uma startup, busca por parceiros que os ajudem a ganhar visibilidade e a colocar os projetos na rua. Por isso, a Microsoft realiza anualmente a Imagine Cup, que chegou em sua 16ª edição, teve sua final mundial deste ano entre os dias 22 e 25 de julho, em Seattle, Washington. A competição é realizada mundialmente, e dá a oportunidade de estudantes mostrarem soluções inovadoras, desenvolvidas utilizando tecnologias Microsoft, e transformar o projeto em uma startup, além dos diversos prêmios que os vencedores recebem.

um grupo de pessoas pulando na frente de uma multidão

Foram quatro dias intensos de apresentações, trabalho, aprendizagem e, claro, diversão. No primeiro dia de evento, os competidores se conheceram e tiveram um encontro com a organização e colaboradores da Microsoft, para entender mais sobre os dias que estariam lá. O segundo dia foi hora de colocar a mão na massa! Os estudantes tiveram menos de uma hora para organizar suas apresentações e protótipo dos produtos, para que então os jurados entrassem na sala e avaliassem os projetos. Além disso, os estudantes puderam bater um papo com Menzer Pehlivan, engenheira civil especializada em segurança sísmica, que contou um pouco sobre sua jornada até atingir seus objetivos, seus desafios em ser uma mulher na área de STEM (ciências, tecnologia, engenharia e matemática).

Durante as apresentações  da Imagine Cup, a América Latina foi muito bem representada pelos times:

Lexa (Argentina) – utilizam tecnologia de blockchain para armazenamento de prescrições médicas;

um grupo de pessoas posando para a câmera

Eranoi (México) – desenvolveram um relógio, que mede, em tempo real, os sinais vitais de um paciente, por meio de Machine Learning e Inteligência Artificial;

um grupo de pessoas em frente a uma loja

Adam Robô (Brasil) – software que, em menos de 10 minutos, consegue detectar, por meio de Inteligência Artificial, se o paciente possui algum problema de visão, desde miopia até cataratas. O robô ficou entre os 18 semifinalistas da final mundial e, apesar do sucesso durante a competição, não chegou a se classificar para a final.

Depois das apresentações dos semifinalistas, que possuíam soluções utilizando Microsoft Azure, Big Data e Realidade Mista, foram selecionados os três grupos que se apresentaram durante a cerimônia da final. Mediated Ear, de Tóquio, foi o terceiro colocado na competição. A solução do Japão tem como objetivo facilitar a audição por meio de aparelhos, podendo “desligar” o áudio de ambientes barulhentos, focando somente na voz da pessoa com a qual deseja conversar.

Em segundo lugar, iCry2Talk, da Grécia, com um projeto que propõe um aplicativo acessível e não invasivo para traduzir os sentimentos das crianças, por meio do choro, para os pais. E o grande vencedor da Imagine Cup 2018 foi o grupo SmartARM, do Canadá. Os integrantes desenvolveram uma prótese de braço, que é movimentada utilizando Machine Learning. A prótese possui uma câmera embutida, para identificar o objeto a ser segurado e definir a melhor maneira de pegá-lo.

um grupo de pessoas posando para uma foto na neve

Os vencedores ganharam prêmios em dinheiro, crédito em nuvem e mentoria com o CEO da Microsoft, Satya Nadella

A Imagine Cup 2018 chegou ao fim, mas em breve a competição abrirá as inscrições para participar da 17ª edição, em 2019. Fique atento às novidades e não perca a oportunidade de tornar sua ideia uma startup de sucesso! Enquanto isso, experimente gratuitamente o Microsoft Azure e prepare-se para a próxima Imagine Cup!


Autor: Microsoft Tech