Digital Transformation Lab – Episódio Vale


Com o intuito de conectar clientes corporativos da Microsoft, desenvolvedores e Startups, a Microsoft promove o Digital Transformation Lab (DTL), uma iniciativa que dura algumas semanas e envolve as áreas de negócio do cliente para a definição de desafios que serão discutidos no formato de um hackaton. O evento tem a participação do ecossistema de startups e parceiros da Microsoft, que em conjunto com os profissionais do cliente, co- criam protótipos funcionais alinhados aos desafios definidos na primeira etapa. 

Em dezembro de 2017, foi a vez da Vale S.A e Microsoft realizarem o hackathon em Belo Horizonte, com a participação de 80 profissionais, entre desenvolvedores e áreas de negócio, em 48 horas de evento. O resultado foram oito soluções, das quais três foram selecionadas pelo time executivo da Vale.  

Os cenários 

Captura semântica de eventos 

  • Identificar condições físicas (leveling e alinhamento de estruturas e componentes, distribuição de carga) e condições operacionais de um transportador que causa desalinhamento no cinto; 
  • Identificar no meio de um minério a presença de corpos estranhos não metálicos (madeira, plástico, etc) com o objetivo de diminuir a perda de qualidade e paradas operacionais desnecessárias (transferir bloqueios de chute e belt tears); 
  • Dificuldade em inspecionar grandes quantidades de ativos (ex: vagões), trilhos longos, ou lugares de risco (pontes, túneis, locais de difícil acesso, etc); 
  • Medição de condições ambientais: barulho, contaminação, invasões, etc. 

Manutenção preditiva e monitoramento operacional 

  • Monitorar condições operacionais (ex: temperatura, vibração, barulho) das esteiras rolantes para prever falhas. Atualmente existem mais de 1.6 milhões de esteiras em operação na Vale, distribuídas em mais de 500 km de transportadoras; 
  • Verificar a integridade da borracha da esteira da transportadora, com o objetivo de identificar a presença de superfícies danificadas, abertura de costuras e desprendimento de reparos; 
  • Medição da espessura da borracha que cobre as esteiras transportadoras com o objetivo de monitorar e prever o fim da vida útil. 

Acesso online da informação pela operação 

  • Para garantir a qualidade na realização de procedimentos complexos ou que precisem de muitos passos para serem executados. 

As soluções finalistas 

O Team HUBE, formado pela SVA Tech e Instituto Eldorado, desenvolveu um sistema de gerenciamento de acervos utilizando visão computacional. Este sistema é capaz de identificar anomalias pela detecção de eventos em imagens, em tempo real e assistindo a decisão por meio do evento hub, gerando ganhos de viabilidade, facilitando a inspeção, reduzindo custos e mitigando os impactos de erros humanos e danos materiais. 

As tecnologias utilizadas no desenvolvimento da solução foram Azure, Machine Learning, Azure Cosmos DB, SQL Server, Node.js, websockets, Bootstrap, jQuery, NoSQL e um hardware proprietário SVATech. 

O Team Vale Dourado, composto pelas equipes da Vale e do Instituto Eldorado, desenvolveu uma solução para o problema do acesso à informação online e off-line pelo operacional. Eles atacaram em três frentes: tornar os procedimentos acessíveis, executando os procedimentos pelos técnicos e garantindo a integridade da informação e a auditabilidade.  

Para resolver estas questões eles utilizaram as seguintes tecnologias: Azure, blockchain, Machine Learning, Azure Cosmos DB e Python. 

O Team Eniot, formado pelos desenvolvedores da Things Experts, focou em resolver o problema da manutenção preditiva e do monitoramento operacional. Para sanar este problema, eles desenvolveram uma solução baseada em IoT, utilizando o Microsoft Azure IoT Hub. Assim, a inspeção manual que é atualmente realizada, pode ser substituída por uma inspeção automática e mais eficiente. A tecnologia desenvolvida automatiza o monitoramento dos equipamentos e compreende seu comportamento por meio de Machine Learning. 

Iniciativas como esta fazem parte da estratégia de Transformação Digital que a Vale começou a implantar em 2016. O objetivo da empresa é economizar mais de US$ 100 milhões em dois anos, ou seja, até o final de 2018, com o uso de Internet das Coisas, Advanced Analytics, Machine Learning, Inteligência Artificial e aplicativos móveis, entre outras inovações tecnológicas, para promover a integração entre as áreas de negócio pelo mundo, reduzir custos, simplificar processos, aumentar a produtividade e a eficiência operacional, e alcançar os melhores índices de saúde e segurança.

Acompanhe o Microsoft Tech e fique por dentro dos próximos DTLs. Se você é desenvolvedor ou tem um startup e gostaria de ser convidado para os próximos DTLs envie um e-mail para mstechbr@microsoft.com. 

 


Autor: Microsoft Tech